Saiba como evitar os riscos de doenças oculares no verão

19/12/2016

Durante o verão, os cuidados com a saúde devem ir além do protetor solar. As altas temperaturas favorecem o aparecimento de vírus, fungos e bactérias na água e em ambientes fechados, quentes e úmidos. Isso facilita o desenvolvimento de doenças oculares, então, fique atento.

Uma das doenças mais comuns neste período do ano é a conjuntivite, infecção que se dá na conjuntiva (membrana que recobre a parte branca do olho), podendo ser do tipo alérgica, bacteriana ou viral. Dentre os sintomas estão a coceira intensa, vermelhidão, inchaço e lacrimejamento.

Também comum no verão, a Ceratite é uma infecção que surge na córnea, sendo causada por fungos e bactérias. Os sintomas mais frequentes são a sensação de corpo estranho nos olhos e a vermelhidão.

O Pterígio é causado pela exposição em excesso e sem proteção aos raios ultravioletas, causando ardência e vermelhidão. A doença costuma atingir pessoas que trabalham expostas ao sol. Em longo prazo, pode provocar aumento do astigmatismo e perda parcial da visão.

A Catarata torna o cristalino (lente natural dos olhos) opaco, causando visão embaçada. A doença se manifesta, em média, aos 60 anos, mas uma exposição solar excessiva sem proteção ao longo da vida pode ocasionar o seu aparecimento precoce.

Confira abaixo algumas dicas para diminuir os riscos de contrair estas doenças:

– Utilize chapéus e óculos de sol com lentes que tenham proteção contra os raios UVA e UVB do sol. Se você não gosta dos óculos escuros, hoje já é possível encontrar tipos de grau com filtros;

– Compre seus óculos apenas em estabelecimentos confiáveis, com procedência conhecida e recomendação médica. Óculos sem proteção agridem ainda mais os olhos, pois a pupila se dilata quando se utiliza uma lente escura, o que favorece a entrada da radiação solar. Escolha uma ótica de sua confiança;

– Ao entrar no mar ou na piscina, não mergulhe com os olhos abertos. Isso diminui o risco de contaminação por micro-organismos que podem gerar conjuntivites e ceratites;

– Quem faz o uso de lentes de contato deve retirá-las antes de entrar na água. O uso facilita a infecção por micro-organismos, no caso de contato com os olhos;

– No caso de irritação nos olhos após sair da água, lave-os bem com algum colírio lubrificante. Caso não alivie, procure um oftalmologista;

– O uso prolongado do ar condicionado também deve ser evitado. Por diminuir a umidade do ambiente, os olhos ficam mais ressecados, podendo gerar desconfortos, como coceira e sensação de corpo estranho. O uso de colírio lubrificante pode ajudar, mas também é importante realizar a limpeza frequente do filtro do ar. O acúmulo de ácaros pode provocar conjuntivite alérgica;

– Respeite o prazo de validade e as regras de armazenamento dos colírios. Alguns produtos precisam ser armazenados na geladeira. Nunca compartilhe estes colírios com outra pessoa, pois isto, facilita a transmissão de infecções;

– Se você pratica atividade física ao ar livre, utilize faixas na cabeça para evitar que o suor escorra para os olhos. No rosto, utilize sempre o filtro solar adequado para esta área, tomando cuidado para que o produto não atinja os olhos;

– Se notar que algum corpo estranho entrou em seus olhos, tente não esfregar. Lave-os com soro fisiológico ou colírio lubrificante. Se não melhorar, procure o oftalmologista.

Siga estas dicas e curta o verão com proteção!

 

Fonte: Portal dos olhos

Deixe seu comentário